OEM: minha opinião parte 2

Por Henrique Ebert

Originale e cópia

Há três anos escrevi esse texto sobre OEM. Como faz um ano e meio que não tocava esse blog, vi que tinham alguns comentários que mereciam resposta, uma vez que o pessoal perdeu seu tempo para nos questionar sobre o assunto. Fora que foram muito pertinentes.

Um produto OEM NÃO É UM PRODUTO FALSIFICADO!

Mais ou menos!

Vejamos.

Continuar lendo

Ben Hur

BIGA Romana

BIGA Romana

BIGA Romana

Por Henrique Soares Ebert

Depois da paternidade, fico sempre pensando em como levar minha filha para correr comigo.

O carrinho dela é bom para passear, mas não para correr.

Existem os B.O.B.s, que têm rodas maiores e foram feitos para levar os pequenos para uma corridinha. Mas nunca gostei de ter que correr empurrando a alça do carrinho.

kidRunner

kidRunner

Hoje vi o que pode ser a solução dos meus problemas, o kidRunner. É um carrinho, no estilo de biga romana: duas rodas grandes e um cesto no meio. No lugar do cavalo tem um burro me teria puxando minha pequena.

kidRunner

kidRunner

O problema é o preço, US$950,00. Para os early birds, há uma oferta: US$750,00. Para os apressados (early birds), os carrinhos começarão a ser despachados assim que a empresa receber pelo menos 300 pedidos.

Como o natal está chegando e o país em crise (pelo menos eu estou), eu aceito que o Papai Noel me dê um desses no lugar da minha P5 eletrônica, com par de 808.

Quem tiver interesse, clique aqui.

Bolão Ironman World Championship

ironman world cahmpionship 2015

Por Henrique Soares Ebert

Um dia desses, eu disse no Facebook que a semana que antecede o Ironman Floripa quando não se está inscrito parece Natal sem presente.

As semanas que antecedem a Kona quando se tinha a vaga é pior ainda. Parece que você ganhou o presente e aí o Papai Noel resolve do nada que você não se comportou no ano e toma sua bicicleta.

Deixando o MIMIMI de lado…

Vamos promover um bolão já que dia 10 será disputado o Ironman World Championship na Big Island.Eu imagino uma disputa épica tanto no masculino quanto no feminino. Então a brincadeira será legal. Explico:

Ivan Rana

Ivan Rana (AP Photo/Chris Stewart)

O papa léguas

Ivan Raña: é um nome que não pode ser descartado. Sua corrida o faz ganhar muitas posições ao final da prova. Entretanto, se ele não tiver melhorado na bike talvez nem um top 10 ele consiga este ano.

Marino Vanhoenacker

Marino Vanhoenacker

O sem palavra

Marino Vanhoenacker: o belga campeão do Ironman Brasil 2015 prometeu no ano passado de pé junto que nunca voltaria a competir no mundial. Parece que a palavra dele não vale muita coisa. Contudo, o belga de 39 anos terceiro colocado em 2010 tem ainda alguns truques na manga.

Tim Don

Tim Don

O Seu Madruga

O Tim Don voou no primeiro semestre, mas depois de uma queda o deixou fora da batalha na Áustria e o fez perder um importante período de preparação para Kona. Isso pode pesar contra ele. Mas, para mim, pode acabar ajudando: penso que um revés pode fazer com que o atleta cresça mentalmente. Por isso, o considero como um importante candidato. Entretanto, acho que ele corre por fora.

Andy Potts

Andy Potts

O Nadador

Andy Potts: o americano campeão do Pan 2007 e do mundial de Ironmnan 70.3 é sempre menosprezado na Big Island. Seu retrospecto, porém, é bem consistente. Dono de uma natação e corrida fortes, ele não fica para trás no ciclismo como o Raña, por isso espero dele mais um top 5, como no ano passado.

Frederik Van Lierde

Frederik Van Lierde

O Burocrata

Marino Vanhoenacker: o belga vencedor de 2013, terceiro em 2012, e 8 no ano passado nunca pode ser deixado de lado. Ele tem um estilo que não desperta muita atenção, mas é muito eficiente. Para falar a verdade, acho que ele só vence a prova se o pessoal abaixo quiser mostrar quem é mais foda no início do dia. Porém um top 5, ou 3 dele é bem provável.

Jan Frodeno

Jan Frodeno

O Foda

O Jan Frodeno ganhou tudo que tinha de importante para ganhar esse ano, notadamente o Ironman Frankfurt e o Mundial de 70.3 na Áustria. E nem adianta dizer que Kona é quente e que essas provas europeias foram disputadas em clima temperado. O cara foi terceiro lugar no ano passado na Big Island (para quem não se lembra). Ele vem com tudo.

Sebastian kienle

Sebastian kienle

O Rei (?)

O Tião Kienle é forte. O Ironman em Kona é uma prova que se encaixa no estilo dele: sair de trás na água, martelar no pedal e manter um passo forte na corrida. O retrospecto dele no Hawaii é muito bom. Mas, mais importante, ele não quer entregar a sua coroa. Fora que ele vem circulando numa Mercedes Classe V com o decalque que diz “Rei de Kona” (como o @hailesincero disse, meio pretensioso para quem só levou uma coroa lá), então, ele vai precisar fazer jus ao que está dizendo. Mas, será que a vontade de manter a realeza vai ser suficiente?

Mercedes Classe V KING OF KONA

Mercedes Classe V KING OF KONA

 Igor Amorelli KonaManocchio

Os brasileiros:

Minha torcida pelo Igor e pelo Manocchio é grande. O Guilherme acabou de vencer o Ironman Copenhagen, então vem com a moral lá em cima. O Amorelli vem para seu terceiro Mundial em Kona. Em um dia bom ambos podem conseguir um top 15, ou top 10.

Espero que eles tenham a mesma atitude que o Igor teve no ano passado, mesmo que não tenha rendido uma posição boa como em 2013, lhe deu muita exposição durante a transmissão da prova do ano passado.

Amanhã ou depois traga meus palpites para a prova feminina e declararei aberta a jogatina. Com as regras de como vai funcionar nosso bolão. Só adianto que o prêmio deste ano é igual ao do ano passado: nada!

Tetrathlon #2

Por Henrique Soares Ebert

Deu Ruim

***

Quarta feira é o dia da coluna mais esdrúxula do triathlon nacional, pelo menos é nesse magnífico blog.

A maioria de nós triatletas, somos seres da madrugada. Acho que só o Boró Sandoval acorda depois das 6 da manhã nos dias de semana. Por isso, nós sempre (aham…) deixamos nossos equipamentos prontos para o treino na noite anterior. Com filhos pequenos o desafio fica ainda mais interessante. Além de não poder fazer barulho, é bom não acender nenhuma lâmpada da casa, caso o faça você corre sério risco de o rebento acordar e dar água no seu treino. Continuar lendo

Tetratlhon – #1

Forrest-Gump

Forrest Gump, o Padroeiro da Coluna

Por Henrique Ebert

Triatleta é que nem pescador, adora contar suas histórias. Nadei tranquilo, corri abaixo de 4 pra 1, não peguei roda em Floripa. Eu mesmo tenho as minhas. Vou começar a compartilhar algumas delas e a de quem mais tiver interesse em escrever.

O nome da coluna é Tetratlhon, por conta dessa quarta modalidade (história), e virá sempre que possível às quartas-feiras (quarto dia da semana).

Para começar, o causo da minha segunda prova de triatlhon (acho que já contei para muita gente, talvez até mesmo aqui no blog ou no Facebook, mas conto de novo).

Sesc Brasília 2005 (Pena não ter foto)

Em abril tinha acabado de participar de minha primeira competição e fiquei empolgado com essa brincadeira nova. Só que depois dela, passei um mês e meio sem conseguir treinar direito: arranquei os sisos, bati o carro, comecei a estagiar, ou seja, um mês de azar (o apelido Uruca vem em outra história). Continuar lendo

Power!

BMC tm01 Uplace-BMC Triathlon Team

Por Henrique Ebert

Fotos de Jay Prasuhn  retiradas nesse link do site lavamagazine.com.

Os medidores de potência estão cada vez mais populares entre os ciclistas e triatletas. Não só entre os profissionais, mas entre nós amadores também.Até pouco tempo atrás tínhamos poucas opções.

PowerTap e SRM vieram primeiro. Logo depois veio a Qarq (SRAM) e Rotor. Atualmente temos várias opções: Pioneer (isso, àquela mesma marca do som do seu carro – que provavelmente foi roubado), Stages, Garmin Vector, 4iiii (esse é o mais novo deles e, junto com o Stages, o mais barato).

Ao que tudo indica tem um grupo  japonês que está querendo entrar na brincadeira. O que é bom. A concorrência faz com que os produtos melhorem e os preços abaixem (pelo menos na teoria é assim).

O grupo em questão é a Shimano (sério?!). O pessoal da Lavamagazine.com percebeu um equipamento diferente no pedivela do triatleta belga da equipe Uplace-BMC Triathlon Team (que tem como fornecedor de componentes a própria Shimano) durante o trainning camp nas Ilhas Canárias.

Shimanho Powermeter

Shimanho Powermeter

O pessoal da Lava ainda questionou o mecânico que trabalhava na bicicleta do atleta belga. O máximo que conseguiram foi um sorriso e uma declaração mais ou menos assim: “Não posso dizer nada, mas e fácil saber do que se trata se você conhece alguma coisa sobre as ferramentas que algumas marcas usam.”

Shimano powermeter non drive

Shimano powermeter non drive

Não foram dados maiores detalhes sobre o equipamento, mas parece que ele vai medir a potência gerada por cada perna, utilizando um segundo “pod” para o braço esquerdo do pedivela.

Agora eu entendo porque os pedivelas da Shimano ficaram com esse formato estranho.

Medir e acompanhar – retorno

image2

image2

Por Henrique Ebert

Ano passado falamos aqui sobre um certo aparelho que estava em fase final de desenvolvimento, o BSX insight: um medidor de limiar de lactato em tempo real.

Na época (abril de 2014) eles estavam buscando investidores para bancar sua linha de produção. O caminho escolhido foi o crowdfunding, ou financiamento coletivo. Parece que deu certo.

Os aparelhos já estão disponíveis para pré-venda, através do site deles. O preço vai de 300 até 420 Obamas. E estão disponíveis três modelos, Corrida, Ciclismo e Multsport. A precisão, conforme dito em abril do ano passado, é de 95% com relação ao teste tradicional.

image1

image1

Não consegui informações oficiais sobre as datas de entrega, mas li na internet que já tem gente esperando receber em duas semanas (o pessoal que ajudou a bancar a produção teve prioridade).

O Flecha me disse que vai comprar um, mas não sei se eles têm o modelo para crianças…