70.3 St. George

St George 70.3 2017 NORTH AMERICAN PRO CAHMPIONSHIP

Mas pode chamar de semi duelo de Titãs.

Por Henrique Soares Ebert

Semi por ser um “Half Distance”  e por ser um aperitivo do que poderemos ver em Chatanooga esse ano.

Continuar lendo

Anúncios

Triathlon nas Olimpíadas (Masculino)

Por Alexandre Dourado

Que dia perfeito estava no Rio de Janeiro para acontecer a prova de Triathlon das Olimpíadas… E as coisas saíram quase como previsto… O nadador Richard Varga quebrou os grupos (tenho quase certeza que deve ter existido uma parceria entre os irmãos Browlee e o Eslováquio, pois são amigos pessoais e treinam juntos… Os irmão devem ter falado: Se mata na natação e deixa o resto com a gente). E foi exatamente o que aconteceu, os irmão ditaram o ritmo do pelotão a abriram uma boa vantagem… com a ajuda de Henri Schoeman, Aaron Royle e Vicent Luis, eles colocaram mais de 1 minuto sobre o segundo pelote num percurso durissimo (do jeito que os Brownlee gostam). Confesso que no inicio da corrida fiquei meio em dúvida se os Brownlee iriam conseguir imprimir uma corrida forte depois de fazer MUITO mais força do que os outros… No início vi o Alistar se hidratando muito e com fisionomia de cansaço, por alguns minutos achei  que ele fosse quebrar!!! Mas mesmo com cara de cansado ele colocou na frente e puxou o ritmo colocando o Vicent Luis pra sobrar (nesse momento fiquei assustado com a tolerância a dor desses britânicos), em seguida colocou seu irmão pra sobrar (nessa hora eu já acreditava que ele era capaz de fazer qualquer coisa)… Daí pra frente a gente já sabe o que aconteceu!!!

Tenho 2 observações pra fazer:

a primeira observação se refere ao comportamento dos Brownlee na prova… Ficou nítido que eles não estavam lá só pra ganhar, eles buscam algo além da vitória… Não sei se é paixão pelo sofrimento (é visivel que eles correram os 10k beirando o desmaio), se é pelo espetáculo para o público, se é por promessa… o fato é que eles não param de fazer força em momento algum!!!

a segunda observação se refere ao acompanhamento das motos junto aos pelotões… Não sei exatamente como funciona a regra, nem o possível ganho de performance, nem como é contrato de publicidade… mas o fato que me incomoda é a moto andando na frente dos pelotões… Seria mesmo necessário deixar a moto fazendo aquela filmagem frontal!?? Fiz algumas fotos da prova que acredito favorecer o andamento do pelote!!!!! O que acham?

Amanhã tem Triathlon 

Por Henrique Ebert 

Cara, como pode? Amanhã tem Triathlon nas Olimpíadas e eu não escrevi nada. Mil desculpas, mas não acompanhei nada do circuito este ano e quase que esqueci que o Javier está fora.
Por isso, resolvi fazer que nem o governo federal na década de 1990 e tercerizei a.tarefa de dar meus pitacos. Mas, ao contrário do que muita gente faz quando delega sua tarefa, recorro à um dos meus gurus. Já disse que o Ribeiro, o Flecha, o Boro, Dudu Gonzalez, Siqueira, Vinícius Fofotao e o Motoca são alguns deles. Resolvi recorrer ao Rômulo Nogueira que conhece o percurso (o Dudu também, mas ele tá com.os espanhóis). O Riberator também deu a opinião dele, é o poste abaixo desse. 

Abaixo, seguem as palavras do Rômulo:

Em 1999 escrevi para o site Bikemagazine , sobre a perspectiva do triathlon em sua estréia olímpica , na época tínhamos um panorama diferente , mas isso pode ser assunto para outra vez .

Bem vendo o panorama atual , e levando em consideração o evento teste , teremos uma prova diferente daquilo que temos visto no circuito , começando pela natação , 1 circuito de 1500 sem voltar na areia , mas pouco mexido ( por causa do horário ) com uma leve corrente jogando para esquerda da largada e sem roupa , ou seja , por si só já seleciona então não teremos surpresas na saída da água , Vargas ,  Shoeman , os franceses e o  Italiano Fabian Alessandro devem puxar o primeiro pelote , com os irmãos Brownlee , Crisanto Grajales e Ryan Fisher na rabeira desse pelote ! Pouco depois ver o restante dos favoritos formando um verdadeiro grande pelotão , Mola , Murray , suíços , portugueses , os outros espanhóis e os russos devem vir nesse segundo grande pelote , o cenário ideal é que o Diogo saísse nesse pelote nem que fosse no rabo. Ainda se formará um terceiro pelote… Dado o circuito de pedal , 8 voltas de 5km cheio de quina , com uma duríssima subida e uma descida extremamente técnica , faz-se um pequeno pelote organizado andar melhor que um grande pelote , visto o nível dos corredores qualquer tempo que cheguem na t2 na frente fará toda diferença , e sabendo a agressividade dos irmão Browlee na bike podemos ter a prova definida no pedal sim ! Já que Xavier não estará lá , porém acho que se tratando de olimpíadas deve haver trabalho de equipe para o Mola e para o Murray chegar no pelotão da frente . O primeiro 2/3 da prova fará muita diferença entre os favoritos. Na corrida podemos ter 2 cenários , 1º com o primeiro pelo vingando e um 2º que seria a junção desses dois pelotes. No 1º sem o Xavier pra quebrar o ritmo e “dar em cima” dos ingleses no pedal , podemos até ter uma dobradinha caso essa diferença for mais de 1min , no 2º vejo uma briga entre Murray , Alistair e Mola , por fora Vincent Luis , Jonathan , Aaron Royle e Dmitry Polyanskiy , Chutando um pódio teria , Murray , Mola e Alistair nessa sequência !

Sobre o Diogo , acredito que melhore o resultado do Leandro em olimpíadas , na 2º hipótese citada acima , Diogo faz um top 12 ! A natação melhorou sensivelmente e acredito que o 1min e pouco que levou no evento teste , se diminuiu para no máximo 45″.

No feminino , Gwen Jorgensen é a mulher a ser batida e favorita absoluta , Non Stanford é a única que poderá andar perto na corrida , Vick Holland , Sarah True , Anne Hug , Kate Zaferes , Barbara Riveros e Flora Dufy  brigarão pelas medalhas restantes. Acredito em um grande pelotão controlado no pedal entre as favoritas , onde a decisão será na corrida.

Sobre a Pâmela , a estratégia ideal era nadar em sua excelência como sempre e tentar andar o máximo na frente na bike , tentando uma fuga para tentar um top 10 e melhorar a posição da Sandra Soldan em Sydney 2000. Mais que isso acho improvável !

Qual é o seu pitaco?

Expectativas do Triathlon Brasileiro nos Jogos Rio 2016

unnamed

Por Alexandre Dourado

Nesse post darei uma opinião pessoal sobre a participação brasileira nestes jogos ( podem descordar de mim!!! ). Minha opinião leva em consideração o atual nível do triathlon mundial, o percurso em que ocorrerá a prova (subidas no ciclismo), as condições climáticas (calor), o fato da roupa de borracha não ser liberada… vou traçar um panorama do que deve acontecer na prova ( incluindo os Brasileiros), ou seja, vou dar um chute!

No masculino, a estrategia principal da prova será evitar que o espanhol Mario Mola e o sul africano Richard Murray esteja no 1 grupo da bike… Para que isso ocorra, é fundamental que a natação seja extremamente forte, com os nadadores dando a vida pra quebrar em grupos!!! Nessa realidade, acredito que o brasileiro Diogo Sclebin consiga se encaixar no 3 grupo (vou chutar na posição entre 35 a 45)!
No grupo da frente certamente estarão os irmão Brownlee, Vicente Luis (que não fez prova do circuito este ano…), os nadadores Richard Varga, sul africano Henri Schoeman, Aaron Royle, junto com outros…
Vou dar uma atençao maior para Kristian Blummenfelt que na final de 2014, esteve na fuga com Colucci e Alistar… esse ano ganhou a primeira etapa do GrandPrix da França (vencendo o Gomez, Jonathan Browlee, entre outros nomes)…. esse ano na WTS da Suecia buscou o pelote principal (praticamente sozinho) e fez uma corrida muito boa… enfim, caso ele saia no 1 grupo junto com os Brownlee, com certeza o pedal será o terror dos adversários… certeza de várias tentativas de fugas!!!! E mesmo que as fugas não vinguem, certamente todo mundo vai sair pra correr torto!
Vou torcer para que Sclebin se sustente no pelote e consiga fazer uma corrida consistente, mas se a prova se desenhar assim, existe grandes chances de dar dobradinha dos irmãos Brownlee… Mas confesso que preferia ver um grande grupo sair para corrida, incluindo os irmãos, Mola, Murray e Vicente Luis… Ai sim as coisas ficariam indefinidas!!!

No feminino, a estrategia será a mesma, com todo mundo fugindo da americana Gwen Jorgensen… Acredito que isso será uma vantagem para Pâmela… As atletas darão o máximo natação para quebrar o grupo, na bike o ritmo deverá ser forte (Flora Duffy e as inglesas não vão aliviar), com constantes tentativas de fuga… tudo para tentar abrir o máximo de tempo da americana… e a brasileira tem total condições de estar na frente nessa estrategia.
Caso isso ocorra, acredito eu que tenha grande chances da Pâmela conseguir um top10, o que já seria um grande feito!!! Mas se no ciclismo juntar e formar um grande bloco… a vitória certamente ficará com a americana e a Pâmela deve ser figurar entre as 30 (na minha opinião).

E qual é o palpite de vocês?

Campeonato Mundial Amador 2016 Cozumel

Por Alexandre Dourado

Para os que estão inscritos no campeonato mundial em Cozumel, ou conheçam alguém que irá participar… Para este ano (2016), existe um detalhe muito relevante para os que vão participar do Triathlon Sprint.

Esse ano será permitido o vácuo (no Sprint), e com isso apenas bicicletas do tipo “Road” serão aceitas na prova. As bicicletas deverão seguir as mesmas exigências que a categoria elite:

Com isso para os atletas que estão inscritos nas 2 distâncias (Sprint e Standard) e possivelmente vão querer levar as 2 bikes (Road e TT), não se esqueçam que provavelmente deverão desembolsar um valor $$$ com o transporte (dependendo da companhia aérea )… e não esqueçam de levar a nota fiscal delas, pois na volta deverão prestar informações com a receita federal.

Número de vagas para Ironman Hawaii que “rolaram” para os atletas que não atingiram a colocação de qualificação

ironman world cahmpionship 2015

Só para constar, essa informação que pode parecer meio inutil, mas existem Ironmans que possuem o percentual de vagas roladas superior a 50% (principalmente na Europa).

Diante da crise que o Brasil vive e o preço elevado do dólar, de forma geral eu achei baixo o número de vagas “roladas”. Foram 16 vagas roladas das 76 disponíveis (20%). Aqui no Brasil o sonho de ir para o Hawaii ainda esta em alta, custe o que custar…

Segue os dados por categoria:

vagas roladas / total de vagas pra Kona
M18-24 0 / 1
M25-29 0 / 3
M30-34 1 / 10
M35-39 7 / 14
M40-44 4 / 13
M45-49 0 / 10
M50-54 0 / 5
M55-59 1 / 2
M60-64 0 / 2
M65-69 0 / 2

F60-64 0 / 1
F55-59 1 / 1
F50-54 0 / 1
F45-49 0 / 2
F40-44 0 / 2
F35-39 1 / 2
F30-34 0 / 3
F25-29 1 / 2
F18-24 0 / 1

Subjuntivo

d1yjy9hfexvbbtlhddf8

Por: Fernando “Flecha”

Eu realmente não consigo dissociar minha carreira de atleta com minha vida particular. Os mesmo erros que cometo competindo ou treinando se repetem de forma parecida na minha vida particular e vice versa. Por isso quando consigo vencer algum obstáculo seja treinando ou vivendo fico duplamente feliz. Pois sei que estou fortalecido muito além daquela situação. E lendo um texto (abaixo) hoje refleti que quero e terei meu céu com pouquíssimos flechas atleta e não atleta melhores do que vou conseguir ser. Não aceito a opção de não conseguir isso. Desculpe a filosofia barata dos últimos textos mas ser atleta (pelo menos para mim) é muito mais que apenas números e KOMS do Strava.

 

Continuar lendo