Cartão de visitas

Lionel Sander, Alistair Brownlee e Sebastian Kienle

Foto de St George News

Por Henrique Ebert

Alistair Brownlee. Um dos maiores nomes do triatlhon de todos os tempos.
O cara é bicampeão olímpico, desbancando simplesmente Javier Gomez.
Sucessor imediato de Jan Frodeno na coroa olímpica.
Existiam dúvidas de que seria um grande em longas distâncias?

Sim. Normal. Tipo quando um Fernando Alonso anunciou que correrá na Indy-500 este ano.

Continuar lendo

Bolão Ironman World Championship #2

ironman world cahmpionship 2015Por Henrique Ebert

Antes de ontem disse que viria com as pretendentes ao título feminino e as regras da jogatina. Como não sou nenhum Marino Vanhoenacker, cá estou.

A prova feminina tem um field menor que o masculino. O que significa menos qualidade. Só que não!!! As Mulheres que vão para Kona são verdadeiras guerreiras. A Mirinda Carfrae,por exemplo, vive colocando sua corrida entre as melhores do dia (entre homens e mulheres). As parciais do pedal da Daniela Ryf e da Rachel Joyce foram abaixo das 5 horas (4 e 2 minutos que o Raña Respectivamente).

A disputa feminina também é mais aberta do que a masculina. Acho que é porque elas vão no vermelho o tempo inteiro, mostrando mais raça do que a maioria (se não todos) os homens.

O Kona Pro Ranking é bem duro com os atletas, mas realmente seleciona os melhores, por isso, acho que quem largar no dia 10 tem chances de um top 5. Contudo, alguns nomes merecem nossa atenção:

Ariane Monticeli

Ariane Monticeli

Ariane Monticeli: a vencedora do Ironman Brasil, tem uma corrida muito forte, o que é uma boa arma em Kona. Além disso, está num bom momento. Na minha opinião, um top 3 é, no mínimo, plausível. Para isso vai ter que pedalar forte sem gastar tudo.

Rachel Joyce

Rachel Joyce

Rachel Joyce: ano passado ela ficou muito frustrada com seus resultados em Roth (segundo) e em Kona (um terceiro lugar). Esse ano não a vi falando muito sobre suas expectativas (como no ano passado) e isso pode fazer bem a ela. Dona de um pedal forte e uma corrida consistente, a inglesa pode se dar bem em um dia quente com menos vento e com a cabeça no lugar. Só para constar: ela é a terceira integrante do Team Bravo Coca Cola (parece que a bagaça vem funcionando – LEGAL DEMAIS).

Heather Jackson

Heather Jackson

Heather Jackson: a extravagante americana é sempre destaque em provas de 70.3. Esse vai ser seu primeiro ano em Kona como profissional (ela esteve por lá em 2008 e eu dei um couro nela). Ela mais parece mais uma skatista, mas não se engane, o pedal é sua principal arma. A torcida americana (e a minha) com certeza será seu trunfo.

Leanda Cave

Leanda Cave

Leanda Cave: a campeã de 2012 tem um currículo de respeito. Depois de um 2013 marcado por lesão e 2014 focado em provas curtas, a britânica vem correndo por fora.

Mirinda Carfrae

Mirinda Carfrae

Mirinda Carfrae: a baixinha australiana tem uma corrida descomunal. Sua maratona esta frequentemente entre as 5 melhores do dia entre homens e mulheres (ano passado foi a 6, mas correu menos de três minutos pior do que o Frodeno e 4 melhor do que o Kienle!!!) tem um déficit muito grande em sua natação e ciclismo se comparada a Joyce e Ryf. Se não melhorar esses fundamentos pode ficar de fora do pódio (eu não quero isso).

Daniela Ryf

Daniela Ryf

Daniela Ryf: atual bicampeão mundial de 70.3 e vice-campeã mundial de Ironman, a suíça é dona de uma natação e ciclismo muito fortes. Na minha opinião, ela achou que a prova já estava ganha e relaxou muito na maratona. Se ela mantiver o foco o tempo inteiro na maratona, não tem para ninguém.

Bem, vamos às regras do jogo.

Cada participante terá de escolher 7 atletas mulheres e 7 homens. O tempo total será somado e o apostador que tiver o menor tempo leva o prêmio (que, como adiantei, não é nada).

Mande sua lista aqui nos comentários até dia 8 para que eu possa consolidar e divulgar as apostas.

Caso um dos atletas escolhidos não largue, o participante poderá mandar um comentário até a 30 minutos de prova (30 minutos da masculina e 30 minutos da feminina) incluindo outro atleta. A alteração somará 30 minutos na soma.

Caso um atleta não termine a prova, será somado 17 horas.

Não precisa mandar a lista em ordem de chegada.

Minhas listas:

Mulheres:

Mirinda Carfrae, Daniela Ryf, Heather Jackson, Rachel Joyce, Leanda Cave, Ariane Monticeli e Melissa Hauschildt

Sebastian Kienle, Jan Frodeno, Ronnie Schildknecht, Jordan Rapp, Igor Amorelli,Terenzo Bozzone e Andy Potts.

TRI > Ironman

Metonímia: figura de linguagem baseada no uso de um nome no lugar de outro. Isso acontece quando uma marca é tão forte que acaba virando o nome de todos os outros produtos. Gillette e Cotonete são exemplos disso. Quer outro (calma, não é aula de português)? Ironman (agora Ailonmein?)!

MDOT

Por Henrique Soares Ebert

O Ribeiro conta uma história de um cara que chegou em uma assessoria aqui de Brasília dizendo que queria fazer Ironman. O Ribeiro retrucou, dizendo: “fazer triathlon, é o que você quer fazer, não?”. A resposta foi simples: “Não. Quero ser Ironman.”

A história é real! Para mim, até um pouco triste.

Eu apoio a todos que se inscrevem e se preparam para um Ironman na vida e pronto. Terminam a prova, tatuam o MDOT e depois nunca mais pegam na bicicleta, desaprendem a nadar e pronto. Acho que é uma experiência transformadora e que você vai relembrar para a vida inteira.

Continuar lendo

Cascais Long Distance Triathlon

Cascais Long Distance TriathlonPor Henrique Soares Ebert

Viajar é legal. Viajar para competir então,  mais ainda (tirando o stress com a bike).  Para mim, o triathlon se tornou meio que uma maneira de conhecer novos lugares. Ainda não viajei do tanto que queria, nem para todos os locais que gostaria. Os circuitos Ironman e Challenge oferecem boas opções: Europa, EUA, México, Chile, Thailandia (um dia eu vou para lá), Austrália (idem), Nova Zelândia (idem de novo…), etc.  Nossos patrícios, todavia, estão fora de ambos circuitos. Mas não tem problema: as inscrições para o Cascais Long distance Triatlhon estão abertas. 🙂

Sinceramente, eu tenho pouco conhecimento sobre a terra dos nossos descobridores. Todas o meu (pouco) conhecimento sobre Portugal vem dos livros de história e geografia, além de algumas reportagens do Globo Repórter e Esporte Espetacular. Ou seja, a imagem que eu tinha do país era basicamente de uma pequena parte de Lisboa.  Mas, vendo as fotos do site do evento eu fiquei bastante interessado. O lugar é lindo! De verdade!

Cascais

Cascais

A prova, como diz em seu nome, será disputada em Cascais, cidade não muito distante de Lisboa – que recebe muitos voos diários vindos do Brasil (o de Brasília sai no fim da tarde, acho que às 17:30), ou seja, a logística não é das mais complicadas, por exemplo, ir para Lanzarote, ou Mallorca. Além disso, muitos brasileiros residem por lá, logo vai ser como se estivesse competindo em casa. Só que fora de casa, em um dos principais destinos turísticos de Portugal

Bem, vamos ao evento!

A prova, ou melhor, as provas serão disputadas no dia 27 de setembro deste ano. Disse provas, pois, além do Long Distance (distância de Meio Iron), ainda terá o World e o Super triathlon. O primeiro com as distâncias de 1.100m de natação, 46km de Ciclismo e 10,5km de corrida. O Super promete ser bem rápido 300m de natação, 7,5km de ciclismo e 2km de corrida – bom para levar aquele amigo que tem vontade de iniciar no triatlhon ou seu filho adolescente.

Vamos ao evento principal:

Natação, 1900m. Largada no ponto “I” (Início) e chegada no ponto “F” (Fim).  Os atletas terão de fazer o retângulo do mapa duas vezes para completar a distância. Deve ser muito bonita a natação, olha a foto abaixo do mapa.

Natação Cascais

Natação Cascais

Ciclismo 90 km 4 voltas. Os atletas sairão da cidade até o ponto W e darão 4 voltas no percurso verde, voltando para a cidade no fim da quarta volta.

Pedal Cascais

Pedal Cascais

Pela altimetria, não é um dos percursos mais duros do mundo, porém, quatro subidas de 2,4km de extensão com 3,8% de inclinação vai minar as pernas dos mais afoitos. Por ser no litoral o vento pode entrar e atrapalhar quem quiser fazer “PR” na bike.

Altimetria Pedal Cascais

Altimetria Pedal Cascais

Corrida

21.1km em 4 voltas de 5 quilômetros e pouco. Boa parte dele será a beira mar, o que é muito legal para quem estiver assistindo (acho que sua mulher não reclamaria de torcer para ti se você pagasse para ela um “Aperol Spiritz”).

Corrida Cascais

Corrida Cascais

(vou completar com fotos do percurso e da cidade)

O valor das inscrições estão discriminados abaixo e acredito que sejam justos (o preços inicial é consideravelmente mais baixo do que o do Challenge Fuerteventura – €145,00  e Ironman 70.3 Foz do Iguaçu –  US$450,00, só para dar um exemplo).

  •  Limitado a 1000 atletas
  • Até 15 de Maio: €115,00 (€90,00 se Pack Hotel)
  • De 16 de Maio a 31 de Julho: €135,00 (€110,00 se Pack Hotel)
  • De 1 de Agosto a 10 de Setembro: €150,00 (€130,00 se Pack Hotel)
  • Última hora: €200,00

A organização ainda oferece pacotes com entrada no evento + hotel.  Maiores informações clique aqui.

Infelizmente não poderei ir este ano, pois estou inscrito para um Ironman em outubro. Mas está na minha Wishlist para 2016.

Ah! Não duvido que em um futuro próximo o Cascais se torne evento Challenge ou Iron.

Super Heróis

Por Henrique Soares Ebert

Ontem a noite assisti ao trailer do segundo fillme dos Vingadores (Avengers:Age Of Ultron). Na hora de dormir, a insônia bateu e comecei a viajar nos super heróis do grupo.  Acordei com o mesmo pensamento hoje e resolvi compartilhar com vocês.

Homem de Ferro

Homem de Ferro

Para começar é bem óbvio, o Ironman (sei que tem tradução para ele, mas vamos deixar em inglês como o nosso temido e amado desafio). Todos no triatlo querem ser ele. Claro: ele é rico, faz filantropia, é inteligente, tem uma casa e vários carros irados. Mas nesse post vamos deixar de lado essa parte e vamos concentrar em que o faz ser super herói. Ele é o cara que tem todos os gadgets, recursos e uma bike irada. Ele também é determinado naquilo que faz. Num dia bom, ele é o principal do time. Mas as baladas acabam o atrapalhando.

Beleza. Mas e os outros? Apesar de não serem que nem Tony Stark, ainda são Super Heróis, e acabam com muita gente. Vamos a eles.

Gavião Arqueiro

Gavião Arqueiro

Arqueiro: caladão, na dele. Mas treina direitinho, é estrategista, sabe se posicionar na prova para atacar na hora correta, e geralmente é um ataque fatal. É aquele cara que você acha que pode te dar trabalho na prova e dará.

Thor

Thor

Thor: é aquele cara cheio de histórias que ninguém sabe de onde veio. Adora descer o martelo no pedal, mas, sem o martelo, ele fica meio que sem poderes. É tipo o Torbjorn Sindballe.

Capitão América

Capitão América

Capitão América: esse eu conheço alguns. É aquele coroa “bombado” que acaba com todo mundo seja nos treinos ou nas provas. Também é cheio de histórias.

Loki

Loki

Loki: é o cara que treinou contigo durante um tempão, mas resolveu ir para outra assessoria. Agora ele é do mau.

Viúva Negra

Viúva Negra

Viúva Negra: é uma mulher, geralmente não damos a devida atenção. Mas ela é forte. Muito forte. E acaba dando um couro em todo mundo. Em inglês tem até um termo para quando uma mulher passa por ti: chicked.

Nick Fury

Nicky Fury: é o comandante do time. Como o ator que o interpreta no filme é o Samuel L. Jackson, vou dizer que é o Flecha.

 Faltando alguém? Sim! O HULK!

Hulk

Hulk

Ele é o mais intável do time. Você olha para ele e não dá nada. Ele está quieto não parece que vai fazer mal à ninguém. Mas na hora da adrenalina ele se transforma e vai passando por cima de todo mundo. Se ele conseguir se controlar vai vencer (a prova, a categoria, alguma coisa assim). Se não, vai abandonar a prova na T1.

Ah, não li nenhum quadrinho deles, então essa “análise” é baseada no primeiro filme da série e, em partes, nos outros filmes da franquia. Ou seja, não levem tão a sério.

Coluna 3AM Número 2

Continue a nadar

Flutuação. Base de tudo

flutuação

Aprendeu a gostar de natação? Duathlon são legais…

A base de uma natação razoável está sobre uma boa flutuação. Por que razoável? Porque existem outros fatores (força, sensibilidade, técnica, hidrodinâmica, capacidade cardiovascular etc) que, quando associados a uma boa flutuação, irão fazer você nadar bem.

Conversando com um dos melhores treinadores de natação em Brasília (e grande amigo meu), o Renato Yoshihara,  ele disse: “A flutuação é uma virtude que poucos desenvolvem com rapidez devido ao posicionamento da cabeça no nado crawl. Nota-se que muitos nadadores viciaram em mexer a cabeça enquanto nadam. Ocorre, principalmente com aqueles que optam por provas de águas abertas, uma vez que necessitam mover mais a cabeça para frente para uma melhor navegação”.

Movimentar sua cabeça para frente faz seu quadril e pernas afundarem. Aumentando a área frontal e a resitência da água.
Continuar lendo