Cartão de visitas

Lionel Sander, Alistair Brownlee e Sebastian Kienle

Foto de St George News

Por Henrique Ebert

Alistair Brownlee. Um dos maiores nomes do triatlhon de todos os tempos.
O cara é bicampeão olímpico, desbancando simplesmente Javier Gomez.
Sucessor imediato de Jan Frodeno na coroa olímpica.
Existiam dúvidas de que seria um grande em longas distâncias?

Sim. Normal. Tipo quando um Fernando Alonso anunciou que correrá na Indy-500 este ano.

Continuar lendo

Anúncios

Cube Aerium C68

CUBE C68 Frente

Por Henrique Ebert

Andreas Raelert, alemão detentor do recorde mundial em provas com distâncias de Ironman (ironicamente o recordo foi no Challenge Roth),acabou de mostrar através do site de seu time (Raelert Brothers – formado por ele, Andreas, e seu irmão, Michael) a sua nova bike para atacar os Lava Fields no próximo dia 10 na Big Island: a CUBE Aerium C68.

O pessoal da Cube se associou aos suíços da marca de rodas aerodinâmica Swiss Side para desenvolver sua nova bike. De acordo com eles, sua nova arma além do CFD (programa de computador que analisa a dinâmica dos fluídos) foi testada no túnel de vento. Nada de novo aqui, as principais marcas top fazem o mesmo.

A diferença (de acordo com eles) é que os aerodinamicistas da Swiss Side utilizaram técnicas de CFD vindas da F-1. Assim, o trabalho desenvolvido entregou ganhos aerodinâmicos significantes, já que foram otimizadas a posição de Andreas e os equipamentos que ele irá utilizar, como capacete, sapatilhas, roupas e a configuração das garrafas.

Cube Aerium C68

Cube Aerium C68

O chefe de engenharia da Cube diz que o quadro é rígido e leve e que transforma toda força da pedalada em velocidade.

Macca x Andreas Raelert

Macca x Andreas Raelert

Bem, achei a bicicleta bonita! Só que isso não me importa, assim como o discurso da Cube e da Swiss Side. Todas as marcas lançam a bicicleta mais leve, rígida, rápida do mercado. Sinceramente, algumas vezes é verdade, já que os engenheiros vão aproveitando o conhecimento que têm e estudam as soluções encontradas por outras marcas. Mas, no final das contas, o que realmente  interessa é se essa bike vai permitir ao Andreas a ser um fator na prova. Eu torço que sim! Em 2010 ele deu um calor para o Macca e conquistou o vice campeonato. Tomara que agora, com 39 anos, ele possa voltar a mostrar sua força.

P.s.: Achei muito parecida com a Canyon Speedmax do Frodeno.

Canyon Speedmax

Canyon Speedmax

Lembre-se de participar de nosso bolão

Bolão Ironman World Championship

ironman world cahmpionship 2015

Por Henrique Soares Ebert

Um dia desses, eu disse no Facebook que a semana que antecede o Ironman Floripa quando não se está inscrito parece Natal sem presente.

As semanas que antecedem a Kona quando se tinha a vaga é pior ainda. Parece que você ganhou o presente e aí o Papai Noel resolve do nada que você não se comportou no ano e toma sua bicicleta.

Deixando o MIMIMI de lado…

Vamos promover um bolão já que dia 10 será disputado o Ironman World Championship na Big Island.Eu imagino uma disputa épica tanto no masculino quanto no feminino. Então a brincadeira será legal. Explico:

Ivan Rana

Ivan Rana (AP Photo/Chris Stewart)

O papa léguas

Ivan Raña: é um nome que não pode ser descartado. Sua corrida o faz ganhar muitas posições ao final da prova. Entretanto, se ele não tiver melhorado na bike talvez nem um top 10 ele consiga este ano.

Marino Vanhoenacker

Marino Vanhoenacker

O sem palavra

Marino Vanhoenacker: o belga campeão do Ironman Brasil 2015 prometeu no ano passado de pé junto que nunca voltaria a competir no mundial. Parece que a palavra dele não vale muita coisa. Contudo, o belga de 39 anos terceiro colocado em 2010 tem ainda alguns truques na manga.

Tim Don

Tim Don

O Seu Madruga

O Tim Don voou no primeiro semestre, mas depois de uma queda o deixou fora da batalha na Áustria e o fez perder um importante período de preparação para Kona. Isso pode pesar contra ele. Mas, para mim, pode acabar ajudando: penso que um revés pode fazer com que o atleta cresça mentalmente. Por isso, o considero como um importante candidato. Entretanto, acho que ele corre por fora.

Andy Potts

Andy Potts

O Nadador

Andy Potts: o americano campeão do Pan 2007 e do mundial de Ironmnan 70.3 é sempre menosprezado na Big Island. Seu retrospecto, porém, é bem consistente. Dono de uma natação e corrida fortes, ele não fica para trás no ciclismo como o Raña, por isso espero dele mais um top 5, como no ano passado.

Frederik Van Lierde

Frederik Van Lierde

O Burocrata

Marino Vanhoenacker: o belga vencedor de 2013, terceiro em 2012, e 8 no ano passado nunca pode ser deixado de lado. Ele tem um estilo que não desperta muita atenção, mas é muito eficiente. Para falar a verdade, acho que ele só vence a prova se o pessoal abaixo quiser mostrar quem é mais foda no início do dia. Porém um top 5, ou 3 dele é bem provável.

Jan Frodeno

Jan Frodeno

O Foda

O Jan Frodeno ganhou tudo que tinha de importante para ganhar esse ano, notadamente o Ironman Frankfurt e o Mundial de 70.3 na Áustria. E nem adianta dizer que Kona é quente e que essas provas europeias foram disputadas em clima temperado. O cara foi terceiro lugar no ano passado na Big Island (para quem não se lembra). Ele vem com tudo.

Sebastian kienle

Sebastian kienle

O Rei (?)

O Tião Kienle é forte. O Ironman em Kona é uma prova que se encaixa no estilo dele: sair de trás na água, martelar no pedal e manter um passo forte na corrida. O retrospecto dele no Hawaii é muito bom. Mas, mais importante, ele não quer entregar a sua coroa. Fora que ele vem circulando numa Mercedes Classe V com o decalque que diz “Rei de Kona” (como o @hailesincero disse, meio pretensioso para quem só levou uma coroa lá), então, ele vai precisar fazer jus ao que está dizendo. Mas, será que a vontade de manter a realeza vai ser suficiente?

Mercedes Classe V KING OF KONA

Mercedes Classe V KING OF KONA

 Igor Amorelli KonaManocchio

Os brasileiros:

Minha torcida pelo Igor e pelo Manocchio é grande. O Guilherme acabou de vencer o Ironman Copenhagen, então vem com a moral lá em cima. O Amorelli vem para seu terceiro Mundial em Kona. Em um dia bom ambos podem conseguir um top 15, ou top 10.

Espero que eles tenham a mesma atitude que o Igor teve no ano passado, mesmo que não tenha rendido uma posição boa como em 2013, lhe deu muita exposição durante a transmissão da prova do ano passado.

Amanhã ou depois traga meus palpites para a prova feminina e declararei aberta a jogatina. Com as regras de como vai funcionar nosso bolão. Só adianto que o prêmio deste ano é igual ao do ano passado: nada!